Boas vindas à Faculdade de Direito: atenção, foco e interesse

0
💡

Faculdade de Direito

“A única coisa que vale a pena é fixar o olhar com mais atenção no presente; o futuro chegará sozinho, inesperadamente. É tolo quem pensa no futuro antes de pensar no presente.” (Nikolai Gogol)

Parabéns pela coragem!

Você está iniciando o curso de Direito. A congratulação se deve, em primeiro lugar, pela atitude de dar mais este passo na sua vida, ingressando em uma faculdade. É, realmente, um diferencial. Já a menção à coragem refere-se especificamente à escolha de fazer Direito em meio ao contexto político, social e econômico em que se encontra o Brasil neste exato momento.

Vamos avisando desde já: o Direito não é aquilo que as séries do Netflix mostram. Isso pode decepcionar muita gente, trazendo frustrações e arrependimentos. Conflitos podem surgir. Então, como primeiro tópico sugerido à reflexão dos novos estudantes de Direito, está este: “atenção, foco e interesse”.

Distrações

Em toda sala de aula de faculdade há um comportamento generalizado, por parte dos alunos, no sentido de se dispersarem em meio aos seus devaneios, bate-papos fora de hora e navegações no smartphone para ver o que há de novo no Facebook, WhatsApp, Snapchat… Tinder… E por aí vai.

Esperamos que algum dia, antes que o Sol esfrie, esse comportamento mude. E isso não tem nada a ver com a paciência dos professores. A verdade é que — acredite! — a maioria dos professores quer que seus alunos tenham sucesso. Eles preparam suas aulas e procuram passar o que há de mais importante nas matérias, e a rigidez nas provas nada mais é do que o desejo que seus alunos se tornem autônomos! Algumas vezes, os professores são bons até mesmo por egoísmo: quanto mais beneficiam os alunos, mais eles falam bem do professor. Então, em geral, os professores querem, sim, o sucesso dos seus alunos.

Sabemos que nem sempre os alunos estão dispostos. É evidente! A faculdade não é a única coisa que fazem na vida. Alguns trabalham, outros ajudam em casa. Há os que têm limitações físicas ou mentais, outros sofrem de problemas familiares e financeiros graves. E a faculdade se torna ainda mais difícil. Mas, mesmo assim, comparecem à sala de aula para sentirem que estão cumprindo seu dever.

Nesses casos, as distrações acabam sendo uma forma de alívio das tensões do dia. Por outro lado, há aqueles que não têm noção nenhuma do que querem e acabam se dispersando por nada. Em qualquer caso, é preciso que todos revejam seus conceitos, por mais difícil que seja a jornada da vida. Por isso, trazemos aqui o tema da atenção.

Atenção

Você pode ter as maiores dificuldades do mundo sobre as suas costas, mas se você optou por cursar Direito e consegue chegar à sala de aula, então você será capaz de prestar atenção e não se dispersar.

Há um segredo para isso, mesmo naqueles momentos em que você se sente muito cansado e atribulado. O segredo prático está no próximo item (#foco). Mas, antes, uma palavrinha sobre “atenção”.

Nosso cérebro absorve coisas automaticamente, sem que nós percebamos. É muito mais informação do que podemos medir, e isso vai sendo depositado em algum lugar em meio aos nosso neurônios. Como nossos atos têm origem em nossos pensamentos, nosso comportamento será ditado por aquilo que é depositado na nossa cabeça. Você já sabe que o consumo funciona assim: algumas palavras mágicas, algumas imagens… e lá está você, fã aquele creme de chocolate com avelã, que só fica melhor com aquele refrigerante de cola.

Acontece que não é possível progredir em capacidade, raciocínio e autonomia de vida só com uma absorção inconsciente de instruções e comportamentos automáticos. Ou seja, não existe aprendizado por “osmose”.

Então, por mais cansados que estejam, é preciso que, em sala de aula, os alunos se tornem conscientes e passem a prestar atenção. Não antes da aula, não depois da aula. É na aula.

Não é tão fácil como parece, devemos admitir! É um trabalho pesado, trabalho duro, como já dizia Armstrong em “Study is Hard Work”. É preciso disciplina. É preciso silenciar o smartphone. É preciso deixar as conversas para depois.

Mas, como fazer isso?

Foco

O segredo é o foco. Todo mundo fala de foco, mas o conceito que se difunde por aí fala mais sobre “ideia fixa” do que sobre “foco”. Você pode ter a ideia fixa de cursar Direito. Mas isso não tem nada a ver com foco.

Pense numa câmera fotográfica e o fotógrafo por trás dela. A ideia fixa dele é tirar fotos. Já o foco muda o tempo todo, conforme o que ele quer fotografar. O foco se ajusta o tempo todo, vai mudando. Agora, o que não muda é o fato de que o fotógrafo está sempre olhando para alvo da sua fotografia.

Experimente tirar fotos com o seu celular sem olhar para a tela. Não dá muito certo, não é? Pois bem! É a mesma coisa quando você vai à sala, mas se distrai da aula.

E o segredo é justamente o foco, ou seja, olhar para o que é mais interessante naquele momento, como faz o fotógrafo. Se há flores para fotografar, não faz sentido pensar em peixes. Fotografe bem as flores e esqueça os peixes! Pense, então, no momento presente, pois o resto terá seu próprio tempo.

Como criar interesse

Convenhamos: o que há de mais interessante na sala de aula é a aula e ponto final. Se você não pensa assim, reflita novamente: qual é o sentido de cursar uma faculdade?

Costumo falar para os meus alunos: corra atrás do que mais te interessa, mas assuma a responsabilidade por isso. Em outras palavras, não fiquem divididos entra vários objetos de atenção, não divida o foco — o que, aliás, é quase impossível para a maioria das pessoas! Ao tentarmos dividir nosso foco, ficamos sem foco em nada. Você sabe do que estou falando! Sabe aquele sensação de ter feito muito e não ter saído do lugar? Pois, é!

Tudo bem, às vezes as aulas ou algumas matérias são “chatas”. Ou, como vimos, as condições de vida dos alunos tornam tudo mais pesado e difícil. No entanto, é possível criar interesse. Como fazer isso? Simples: descubra para que serve aquilo que você está aprendendo.

A linguagem universal do interesse é o dinheiro. Você, provavelmente, limpará o esgoto duas vezes por semana se receber 50 mil Reais por isso, todo mês. No Direito, para se chegar ao ganho financeiro, o primeiro passo é o conhecimento. E quem sabe se aquele matéria “chata” não será a melhor fonte de renda no futuro?

Assim, no Direito, é fácil criar interesse. Basta colocar na cabeça a importância crucial de qualquer conhecimento passado em sala de aula.

Professores

O que os professores fazem? Estudam para ensinar, e ensinam para aprender. Eles, geralmente, querem contribuir ao máximo para com a formação dos seus alunos. Eles têm vivência, têm uma noção mais realista das coisas, têm mais tempo de leitura.

Então, nunca perca a oportunidade de aproveitar os professores. Isso vais ajudar na sua atenção também, porque você terá que estar presente e consciente para fazer suas perguntas.

Ah, lembre-se da regra número 1 da faculdade de Direito: nenhuma pergunta é idiota!

Siga em frente

Então, mais uma vez, bem-vindos à Faculdade de Direito! Siga em frente com atenção, foco e interesse. E fé, claro!

E, para inspirar, Thomas Edison:

“Genialidade é um por cento inspiração, e noventa e nove por cento transpiração.” No mundo do Direito é a mesma coisa. Há bastante trabalho a fazer e você é muito bem-vindo nesta grande obra.

Leitura

Quer saber tudo o que você precisa para “sobreviver” na Faculdade de Direito? Leia: “O Que Esperar da Faculdade de Direito” (link afiliado Amazon Brasil).