“Comments Off”: Site do “Cansei” (“movimento golpista”, segundo Wadih Damous) suspende comentários

4
💡

Eu ouvia à rádio CBN, e lá veio a falar Wadih Damous, presidente da OAB/RJ. Ele dizia que o movimento “Cansei” (ver post “OAB/SP e outras entidades: ‘Cansei’ – Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros“), promovido pela OAB/SP e outras entidades, é um movimento golpista e de extrema-direita. A notícia “OAB do Rio diz que movimento ‘Cansei’ é golpista“, n’O Globo Online, fala sobre o assunto.

Desde os primeiros comentários que foram colocados no site www.cansei.com.br pelos seus leitores, já se mostrava uma enorme variedade de pontos de vista, favoráveis e desfavoráveis ao movimento “Cansei”. Cheguei a ler alguns comentários em que leitores se perguntavam por que haviam apagado o que tinham escrito, o que indicava que alguns comentários teriam sido supostamente apagados. Quando comecei a escrever este post, após ter ouvido a entrevista com Damous na rádio CBN, voltei a visitar o site do movimento “Cansei” para checar novamente alguns comentários. Eu esperava ver, no final do post “Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros”, no site do movimento “Cansei”, o link para acessar os comentários, como tinha visto antes. Todavia, acabei me vendo face à seguinte frase: “Comments Off”.

“Comments Off”. Ou, em português, “comentários desligados”? Não se pode mais comentar nem ler comentários. Realmente não entendo o que está acontecendo. Não há nenhuma explicação sobre isso no site do movimento “Cansei”.

A OAB/RJ não adere ao movimento “Cansei”. Os leitores do site do movimento não estavam em consenso, e agora nem sequer podem comentar. Estou preocupado. Não é a diversidade de opiniões que me preocupa, porque é essa diversidade que pode enriquecer os debates. Mas não consigo vislumbrar um diálogo. É a ausência de diálogo que é preocupante.

Na notícia “OAB SP lidera Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros“, que pode ser lida no site da OAB/SP, está escrito que o site www.cansei.com.brpretende se transformar num fórum on-line de debates sobre os problemas brasileiros“. Agora é que entendo menos ainda aquele “Comments Off”.

Será que os ânimos dos leitores estavam tão exacerbados? Lembro que, entre os comentários, no site do movimento “Cansei” (quando estes ainda podiam ser lidos), um dos leitores (não me lembro o nome) disse que, com a internet, a população poderia mais facilmente participar, de forma direta, nas decisões políticas do nosso País. Agora imagino um enorme fórum online, ou melhor, vários fóruns online, governamentais, dedicados a várias áreas como a saúde, a segurança, a educação, a cultura, os transportes, o meio ambiente etc. e, quando os ânimos do povo estiverem transbordando, venha o “Comments Off” para acalmar aqueles ânimos.

Na verdade, o proprietário de um site ou blog tem a liberdade de apagar comentários inadequados, segundo o seu ponto de vista. Isto é mais comum acontecer em blogs, porque é um meio de expressão bem pessoal, e o seu autor não é obrigado a tolerar qualquer tipo de comentário, como por exemplo os comentários ofensivos ou até spams, entre outros tipos de comentários que o proprietário do site ou do blog entenda dever ser apagado. Por isso, o que não compreendi não tem a ver com a liberdade que o autor de um site ou de um blog tenha de apagar comentários dos leitores, ou mesmo suspender a possibilidade de haver comentários. O que não entendo, na verdade, é onde se encaixa o “Comments Off” do movimento “Cansei” na proposta específica de tal movimento.

O que vejo é que o movimento “Cansei” está gerando bastante controvérsia. A minha opinião é que nós, os brasileiros, somos capazes de tornar o Brasil um país melhor, e que temos todo o potencial para sair do ataque recíproco e entrar no diálogo, com respeito mútuo e idéias claras. E acredito que as diversas seccionais da OAB tenham competência o suficiente para dar a volta por cima, unir-se e dialogar. Nós podemos tornar o Brasil um país melhor.

4 COMMENTS

  1. Pois é. Um fórum de debates que não aceita ao menos comentários… hum…

    Está gerando muita controvérsia esse tal de “cansei” aí. Você viu que a CUT lançou o “Cansamos”?

    Sei não!

    Abraço.

  2. Caro Dr. Gustavo,

    Um absurdo o que está acontecendo, e, principalmente, o que diz o presidente da OAB/Rio, Sr. Wadih Damus, quando se refere ao Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros – “CANSEI”. Ele se arvora como o dono da verdade, e afirma que é “um movimento golpista e de extrema-direita”.

    Primeiro, por quê golpista? Será que a sociedade civil, no estado democrático de Direito, não pode fazer movimentos ordeiros, mesmo que reivindicatórios? Seria esta uma primazia exclusiva dos petistas? E, quando assim procedem – os petistas – sempre fizeram com alarde, e muitas vezes com arrogância e violência.

    Quem está dando golpe em quem, na visão míope do Sr. Damus? Se uma parte da sociedade não elegeu Lula, ela tem o direito de se manifestar, pois não? Até mesmo petistas já se manifestam contra atos do governo. Por que não a sociedade organizada e consciente.

    E, novamente pergunto ao Sr. Damus: por quê rotular a todos que têm visão crítica do atual governo de “extrema-direita”. Qual é a artimanha que está por trás desse enfoque? Não existem forças ocultas trabalhando contra esse governo. Existe apenas a outra camada da população, chamada de oposição, que achou por bem reivindicar aquilo que acha justo. Principalmente a moralidade pública.

    Portanto, e finalizando, o seu comentário foi infeliz, fora da realidade e, para ser sincero, acho que amplamente direcionado. Poderia, sem dúvida, dar a sua opinião, partindo de uma reflexão sobre o movimento “CANSEI” sem ser agressivo, intolerante como, aliás, tem sido os petistas sempre que se lhes cobram alguma coisa. O Sr. deveria defender com argumentos cabíveis e não agressividade a sociedade que tem os mesmos direitos que os demais, hoje, no poder.

    O Sr. na qualidade presidente de uma entidade do porte da OAB/RJ ficou, sem sombra de dúvida, em débito com a sociedade brasileira. Seus argumentos foram pífios. Falo na qualidade de cidadão.

    Meu respeitoso abraço,
    A/W

  3. Olá, Dan. Olá, André. Seus comentários certamente contribuem para o enriquecimento dos debates. Quero frisar a necessidade do diálogo. Quem dialoga tem uma opinião, respeita a opinião contrária e a considera, pesa os argumentos e sabe que tem a liberdade para mudar de idéia. A beleza do diálogo é esta: a união de pessoas com pensamentos por vezes diversos (ou mesmo opostos), mas com finalidade construtiva.

    Muito bom você ter mencionado o “Cansamos”, Dan. E, André: interessantes os seus questionamentos.

Comments are closed.