Como fazer doações para o Haiti

0
💡

[picapp align=”center” wrap=”false” link=”term=haiti&iid=7575313″ src=”2/4/0/7/Haiti_Struggles_With_d808.jpg?adImageId=9171604&imageId=7575313″ width=”380″ height=”242″ /]

Se você pensa em fazer alguma doação para ajudar na situação do Haiti, uma das melhores formas é fazê-la através de órgãos públicos, informando-se antecipadamente. Há dois dias (dia 16 de janeiro de 2010) o Blog do Planalto publicou um post onde enumera vários órgãos públicos e os tipos de doações que podem ser encaminhados a cada um deles, além de divulgar as formas de entrar em contato com esses órgãos.

Transcrevo um trecho do mencionado post:

“As doações dos brasileiros podem ser encaminhadas para três setores: 1 — Medicamentos e ofertas de serviços médicos devem ser informados à coordenação geral de urgência e emergência do Ministério da Saúde. As instituições podem contatar pelo e-mail: missaodeajudasamu192@saude.gov.br ou pelo telefone 61 3315-3518. No caso do cidadão comum, o contato pode ser direto com o 192 da central SAMU da cidade ou do Estado. 2 — Alimentos prontos e água engarrafada devem ser entregues à Defesa Civil. Saiba os endereços aqui. 3 — Outras ofertas de serviços — Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI) pelo e-mail saci@planalto.gov.br ou pelo fax 61 3411-1297.”

……….

Observação (incluída ao post em 20 de janeiro de 2010): Somente hoje percebi que o link para o post mencionado acima está direcionado não para o Blog do Planalto original (ver o post original aqui), mas para o seu clone. Aproveito esta anotação para dizer que, no Blog do Planalto (desta vez, o original) publicou um post com informações sobre contas bancárias que estão recebendo doações para o Haiti.

SHARE
Previous articleBom dia, jurista! Você é, sim, talentoso!
Next articleCódigo Fux, Código Wambier ou o quê?
Gustavo D'Andrea é advogado especializado em Direito Digital, mestre em Ciências (Psicologia) pela FFCLRP-USP e doutor em Ciências (Enfermagem Psiquiátrica) pela EERP-USP. Mantém o blog Forense Contemporâneo desde 2005 e criou a Forensepédia.