Explicando o Twitter a juristas tradicionais (Parte 3)

3
GD Star Rating
loading...

No post anterior da série “Explicando o Twitter a juristas tradicionais” procurei explicar sobre as possiblidades que o Twitter abre no campo dos debates jurídicos. Uma pergunta bem formulada e o fato de que muitos juristas inteligentes e comunicativos estão no Twitter são os ingredientes que permitem debates construtivos e produtivos entre juristas.

No presente post conversaremos sobre uma outra faceta das possibilidades do Twitter, qual seja a das oportunidades profissionais. Podemos partir da ideia dos debates: algumas pessoas passam a trocar mensagens no Twitter a respeito de um tema ou de um site ou de um evento. Nos contextos de cada um dos usuários podem existir necessidades, ao mesmo tempo em que nesses mesmos contextos podem existir recursos.

Na verdade, acredito que a própria essência das conversas profissionais (e também das científicas) realizadas no Twitter gira em torno da combinação necessidade/recurso. A regularidade da presença de profissionais e pesquisadores no Twitter e a intensidade e a frequência das conversas provavelmente contribuem para que as trocas de ideias evoluam mais facilmente para a troca de oportunidades.

Apresento três casos reais de oportunidades profissionais que, de alguma forma, foram potencializadas através do uso do Twitter. O primeiro caso não é da área jurídica, e os outros dois são.

Caso 1 – Fazendo diferente e ganhando espaço

Quem me enviou informações sobre estre primeiro caso foi a jornalista Patricia Haddad (@pathaddad, blog S.O.B.R.E.T.U.D.O). Patricia me contou que tomou conhecimento do 1º Encontro de TI (2008) através de uma mensagem no Twitter. Percebeu que na mensagem havia um link e, como ela estava interessada no assunto, resolveu acessar o link para saber mais sobre o assunto.

Tratava-se de um post, o qual ninguém havia ainda comentado. Algumas pessoas evitam ser as primeiras pessoas a comentar um post. Mas Patricia fez diferente: interessou-se pelo post e comentou. Ela me contou que depois disso a diretora da Arteccom (que promoveu o 1º ETI) entrou em contato por não ver muitas mulheres interessadas no assunto do evento, e também porque ninguém, além dela, havia ainda comentado o post sobre o evento.

O que sucedeu está nas palavras da Patricia:

“No dia do evento, 29/11/2008, apresentei-me a ela para agradecer pelo convite. Então ela me disse que tinha lido meu blog (nos comentários eu havia deixado o endereço), tinha gostado muito do meu jeito de escrever e na conversa descobriu que eu era jornalista. Então disse que me chamaria na editora em janeiro.

“Janeiro de 2009 fui à Arteccom e saí de lá como redatora da futura revista TIdigital, que seria lançada em março. Comecei com duas matérias mensais e agora tenho 3. Não foi fácil escrever sobre TI, assunto que eu não dominava. Novamente, o Twitter me salvou. Sempre que precisei de personagens para as matérias eu consegui lá. Fiz pesquisas, pedi ajuda, enfim. Tudo que precisei para escrever as matérias ao longo deste primeiro ano da revista eu consegui no Twitter.”

Caso 2 – “Parabéns! Sucesso!”

Este é um caso contado pelo advogado Gustavo Rocha (@GustavoRochaRS, site Gestão.Adv.br). Todos temos necessidade de reconhecimento e incentivo (necessidade) e o Gustavo Rocha não perde a oportunidade de incentivar os colegas e desejar sempre sucesso (recurso). Uma simples frase de motivação como “Parabéns! Sucesso!” fez com que se desenvolvesse uma conversa entre ele outro advogado, sendo depois marcada uma reunião em pessoa. Gustavo Rocha disse-me o seguinte: “Descobri que ele já conhecia o meu trabalho de consultoria e como ele tem matriz em Porto Alegre, na mesma semana agendamos uma reunião presencial, que foi muito proveitosa”.

Uma das coisas interessantes a notar neste segundo caso é que o outro advogado já conhecia o trabalho do Gustavo Rocha. Aqui está um ponto para reflexão: por que outras ferramentas (blog, e-mail etc.) ainda não haviam proporcionado o contato que se transformou em uma reunião presencial?

Caso 3 – Um ambiente grande demais (não para o Twitter)

E o terceiro caso quem me contou foi o advogado Antonio Carlos Bratefixe (@bratefixe, Bratefixe’s Blog). Para que este caso fique mais claro, é preciso lembrar que o Twitter pode ser acessado e utilizado através de um telefone celular que tenha acesso à internet. Antonio estava em um evento com estandes. Geralmente nesses eventos os visitantes ficam dispersos em um espaço físico amplo. Parece que foi isso mesmo que aconteceu, e o Twitter foi usado para aproximar pessoas durante o evento. Vejamos o que me disse o Antonio:

“Um fato interessante ocorreu em um evento de profissionais de RH onde via Twitter acompanhava o que os profissionais faziam ou os estandes que visitam instantaneamente. Isso gerou no final da tarde do evento um encontro entre essas pessoas que durante a feira só se comunicavam via twitter pelos Smartphones.”

Além desse caso, Antonio também falou sobre a possibilidade de recrutamento de estagiários através do Twitter.

Concluindo

Os casos mencionados neste post podem servir de exemplo para que os juristas tradicionais notarem mais uma parte do leque de possibilidades do Twitter. Esses casos mostram muito bem a relação entre necessidade e recurso. Para sermos ainda mais precisos, há uma relação necessidade/recurso-necessidade/recurso. Em outras palavras, uma pessoa tem, ao mesmo tempo necessidades e recursos, e pode intergir com outras pessoas que tenham também necessidades e recursos. O nível de interação potencializado pelo Twitter aumentaria, digamos, a probabilidade de determinadas necessidades encontrarem adequados recursos, o que resultaria em maiores possibilidades de surgirem oportunidade profissionais através dessa ferramenta.

GD Star Rating
loading...

3 COMMENTS

  1. Xará,

    No meu caso, talvez não tenha tido o momento presencial pelos outros meios (blog, site, etc), justamente porque as pessoas não se manifestam via comentários e/ou email, mas quando provocadas, respondem.

    Por isso penso que devemos ser sempre pró-ativos em relação a contatos, sejam virtuais, sejam reais.

    Parabéns pelo post!

    GD Star Rating
    loading...
  2. Amigos, achei espetacular essa coisa de Twitter. Mas até hoje ainda não entendi como isso funciona. Quem tiver a bondade, por favor, me ensinem. Desde já sou-lhe muito grato. (Desculpem eu aproveitar esta oportunidade e sair do tema do debate mas não vejo outra solução no momento).

    GD Star Rating
    loading...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here