Forense Contemporâneo no Facebook

3
GD Star Rating
loading...

Grupo Forense ContemporâneoOs leitores regulares deste blog provavelmente perguntarão por que eu falo, às vezes, de grupos de discussão na internet. A resposta é simples: um grupo de discussão, especialmente quando estão dentro de redes sociais, tem enorme potencial de interação. Foi pensando nisso que criei um novo grupo no Facebook, o Grupo Forense Contemporâneo, ao qual todos os leitores já devem se sentir convidados a conhecer.

Há alguns meses, eu havia criado o grupo Blogs Jurídicos e Facebook, com o objetivo de que fossem realizados debates mais específicos quanto ao tema “blogs jurídicos” e a contribuição das redes sociais, como o Facebook, para o desenvolvimento deste tipo de blog. Agora, como o novo grupo, o tema será bem mais abrangente, envolvendo tudo o que é relacionado ao Direito e aos direitos.

O QUE ESTE NOVO GRUPO TEM DE DIFERENTE DE UM BLOG, NO QUE DIZ RESPEITO À INTERAÇÃO?
Esta pergunta também é bem simples de responder: o grupo potencializa a interação entre os leitores do blog. Ocorre que muitos leitores vêm ao blog diariamente incluir comentários com questões sobre direitos. Outros leitores podem ler os comentário e inspirar-se. Por vezes, os leitores podem interagir entre si, mas isto acaba ocorrendo de uma maneira muito limitada, e quase sempre indireta (ou seja, tendo o blog como intermediário).

Já o grupo “revolucionaria” a interação entre leitores, porque permite duas formas principais de contato: um primeiro contato através do grupo, onde há espaço para debates sobre diversos tema; e, o mais importante, um possível contato direto entre leitores interessados nos mesmos assuntos.

COMO ISSO É POSSÍVEL?
O Facebook, assim como o Orkut e outras redes sociais, permite que o internauta crie gratuitamente o seu perfil na internet. Ao acessar o Facebook, mediante senha própria, o usuário estará navegando com seu perfil. O usuário define a sua privacidade, ou seja, o quanto e quando deseja que outros usuários possam conhecer sobre o seu perfil. Ao fazer parte de um grupo no Facebook, qualquer que seja o assunto, o usuário poderá participar de debates (ou mesmo iniciar um debate). Na medida em que os debates vão se desenvolvendo, é possível idenficar os interesses de cada pessoa que está participando do mesmo debate. É sempre possível, dentro do Facebook, enviar mensagens diretamente a qualquer usuário. E eis que se torna possível o contato direto entre leitores que tenham os mesmos interesses.

Suponhamos que no grupo haja um debate sobre o divórcio por escritura pública. Na medida em que o debate vai acontecendo, várias pessoas podem ir aparecendo para participar, enquanto outras podem preferir apenas ler os comentários incluídos pelos outros usuários. Em meio ao debate, talvez ocorra de algum usuário se identificar com outro ou outros usuários e, se quiser, poderá tentar um contato direto com tal pessoa. Esse é um dos maiores méritos do Facebook.

Para ilustrar, podemos imaginar outras situações: vítimas de violência doméstica podem encontrar alento em outros usuários; brasileiros que vivem no exterior podem encontrar ali um ponto de encontro para troca de informações sobre seus direitos; estudantes de direito podem trocar idéias sobre suas monografias; e assim por diante.

CONSULTANDO UM ADVOGADO
Devemos lembrar que o grupo não servirá a fins advocatícios. Isso significa que o debate será o mais livre possível, com diversos pontos de vista, com trocas de experiências e de informações, mas não como exercício profissional da advocacia. Por isso, os juristas que porventura participarem do grupo deverão ficar atentos a isso. Valerá para o grupo a premissa tão repetida neste blog: para casos específicos é essencial que um advogado seja consultado pessoalmente.

A QUESTÃO DO IDIOMA
É claro que os debates no grupo serão feitos em português. Mas, o Facebook está em inglês, o que, para alguns, pode dificultar um pouco a navegação e o aproveitamento das funcionalidades do site. Mesmo assim, a network brasileira dentro do Facebook já conta com mais de 85 mil pessoas. Esperemos que, em breve, o Facebook seja lançado em português. Assim, será engrandecido seu potencial de interação.

OUTRAS SEARAS
Devo mencionar que no Facebook já existia um grupo para debates jurídicos. Trata-se do Direito On-Line, criado por Sérgio Teixeira. É um grupo que está começando ainda, com poucos membros. Mas trata-se de uma ótima iniciativa.

GD Star Rating
loading...

3 COMMENTS

  1. Brilhante a idéia de fomentar a discussão acerca de questões jurídicas, Doutor! Diariamente, também estarei postando breves artigos acerca de temas controvertidos no Direito. Caso queira, poderemos compatilhar referidas questões. Tomei a liberdade de adcionar um link do seu blog ao meu. Saudações, Fellip (http://fellip.wordpress.com).

    GD Star Rating
    loading...
  2. Olá, Fellip. Obrigado pela visita e pelo elogio. Notei que seu blog é novíssimo. Bem-vindo à “blogosfera jurídica”! Espero que o seu blog prospere.

    ……….

    Olá, Ricardo! Que bom que está sempre presente aqui no blog!

    GD Star Rating
    loading...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here