História imaginária 4 – Cinco centavos

0
💡

Mais uma história imaginária do nosso personagem – o advogado Bob Law. Estava uma cliente em sua sala, apenas acabando de tomar o seu café, depois de discutirem sobre um contrato que ela queria fazer. Ela já estava de saída, mas aproveitou para perguntar sobre um outro assunto: ela precisava de uma cozinheira.

A cliente – Isto não tem nada a ver com advocacia… mas, como você escolheria alguém para trabalhar para você? Preciso de uma cozinheira, e não sei como escolher uma para trabalhar para mim.

Bob Law – Procuro na pessoa a vontade de trabalhar.

A cliente – Como você faz isso?

Bob Law – Posso exemplificar?

A cliente – Claro.

Bob Law – A senhora foi bem atendida pelo manobrista de nosso escritório?

A cliente – Sim, claro.

Bob Law – Certo dia, eu estava caminhando pelos arredores, e vi um homem conversando com o jornaleiro da banca da esquina. Ele perguntava se podia trabalhar ali. Infelizmente não havia trabalho para ele ali. Depois, o homem continuou em frente. O jornaleiro fez questão de me explicar que aquele homem estava pelo bairro desde as cinco horas da manhã, e já tinha perguntado umas dez vezes se havia trabalho para ele ali. E havia perguntado isto em vários lugares do bairro, e diversas vezes nos mesmos lugares. A cada pessoa que ele encontrava na rua, perguntava se havia trabalho para ele.

A cliente – Muito insistente.

Bob Law – Talvez perseverante. Mas não foi isso que me fez contratá-lo.

A cliente – E o que foi, então?

Bob Law – Eu estava, então, voltando ao escritório, quando alguém me chamou. Virei-me, e era aquele homem. Sabe o que ele disse?

A cliente – “Você tem emprego para mim?”

Bob Law – Não. Ele disse: “O senhor deixou cair esta moeda”. Era uma moeda de cinco centavos.

A cliente – Oh!

Bob Law – Perguntei se ele estava em busca de emprego. Ele já havia trabalhado como motorista em algumas empresas, mas agora estava desempregado. Depois de uma longa entrevista, percebi que ele realmente queria trabalhar. Agora, temos um manobrista.