História imaginária 8 – Jovens e brilhantes mentes precisam de palavras de esperança

0
💡

O fato de não se ouvir falar de alguém não significa que esta pessoa morreu. Há mais de dois anos ninguém tinha notícias de nosso personagem e amigo, o grande advogado Bob Law. Quando por último ouvimos falar dele, ele estava em uma das unidades do Jus Café em Shangai.

Bob Law esteve descansando pelos campos chineses por algum tempo, na companhia de honrados amigos, em contato com algumas belíssimas paisagens e com os sons e movimentos da natureza. O gosto de Bob Law pelo que é natural e atemporal o faz sentir um pouco além e não se prender às exigências incongruentes de um imposto estilo de vida urbano e, frequentemente, inibido em tudo, especialmente tempo e razão.

Recentemente, Bob Law encontrou-se à beira de um lago com Clarice, dona do Jus Café. Dois advogados brasileiros conversando à beira de um lago na China. Bob disse a Clarice que precisava voltar ao Brasil para alguns debates jurídicos. Clarice o questionou:

Clarice – Dr. Law, por que não voltou antes e por que voltará agora?

Bob Law – Minha presença não é necessária no Brasil. Não no sentido tradicional. Não preciso estar lá para que o que é correto tenha força e o que é justo se expanda. Mas preciso estar lá para tentar… apenas tentar incentivar que alguns não desistam. Apenas isso.

Clarice – Sentirá falta daqui?

Bob Law – Aqui é um meio fácil de alcançar o que já está dentro de mim. A senhora sabe disso melhor do que eu. Tenho algo a fazer.

Clarice – Sim, o senhor tem algo a fazer. Há, de fato, jovens e brilhantes mentes que precisam de palavras de esperança. O senhor tem essas palavras. Eles têm sede delas.

Bob Law – Obrigado, honrada advogada.

Clarice – Sinta-se em casa no Jus Café.