Livros jurídicos para Kindle: cuidados na hora de comprar

7
💡

A Amazon finalmente começou vender no Brasil e talvez você já esteja pensando em comprar livros jurídicos por lá. Por enquanto, livros físicos e o aparelho Kindle ainda não são vendidos no site brasileiro da Amazon. O funcionamento do site começou no dia 6 de dezembro de 2012, e conta com uma seleção de livros no formato Kindle, em língua portuguesa e vendidos em Reais.

Amazon no Brasil
Screenshot do site brasileiro da Amazon

Livros jurídicos na Amazon Brasil

Infelizmente, em termos de livros jurídicos, o site brasileiro da Amazon é frustrante. Ao buscar pela palavra “direito” na caixa de pesquisa, retornaram 262 resultados. Um número aparentemente bom para começar. O problema são os títulos. Aparentemente, uma pequena porcentagem da minha busca representou livros que valem a pena ser comprados.

Data da ‘edição Kindle’

Outra questão que precisamos pensar com muito cuidado, relaciona-se ao peculiar fato de que livros jurídicos nascem para se desatualizar. Tão importante quanto título, autor e qualidade do conteúdo, a data do livro jurídico é fator que seu leitor entende, desde cedo, ser de suma importância.

Toco neste assunto, porque encontrei um livro em formato Kindle que, no título do link mostrava-se a data da edição (ainda bem que acrescentaram a informação da data ali), e próximo à indicação do formato eletrônico, aparecia a data da “edição Kindle” (neste caso, uma data mais recente). Encontrei também livro jurídico sem indicação de data (nem mesmo data da edição eletrônica, nem tampouco indicação de data nos detalhes do produto).

Conclusão: data da “edição Kindle” não corresponde necessariamente à data da edição que originou o conteúdo do livro eletrônico. Isso precisar mudar logo.

Cuidados na hora de comprar livros jurídicos em formato Kindle

Se você tem um Kindle ou está decidido a ter um, e pretender comprar livros jurídicos no site brasileiro da Amazon, preste atenção nos seguintes cuidados, para não jogar dinheiro fora:

  • Data real de edição: procure saber a data real da edição do conteúdo do livro que você quer comprar. Esta dica vale, principalmente, para livros relacionados a temas vinculados a assuntos legais (um livro de direito das obrigações, por exemplo). Se você achar que a data não é tão importante, tudo bem. Porém, quando você acreditar que a data, para determinado livro, é fundamental para garantir que ele está atualizado, e se você não conseguir descobri-la de modo algum, então não compre.
  • Guarde o ASIN do seu livro: normalmente, você encontra nos livros o ISBN (International Strandard Book Number). Mas, na Amazon é exibido o ASIN (Amazon Standard Identification Number). Até agora, não achei informações sobre ISBN dos livros “kindle” que estão no site brasileiro da Amazon. Não acredito que esteja correto este modo de proceder perante o consumidor, pois o ISBN tem seu uso determinado em lei (Lei 10.753 de 2003), e serve inclusive para livros eletrônicos, e o consumidor merece ter acesso a essa informação relevante. Em todo caso, guarde o ASIN para referência futura.
  • Leia e escreva avaliações: o campo destinado a avaliações dos produtos pelos clientes da Amazon é muito importante. Avalie os livros que você comprou na Amazon e publique para que outros consumidores saibam as suas impressões, e possam realizar comprar melhores e economizar dinheiro. Além disso, acompanhe as avaliações de outros consumidores, para que você também possa comprar melhor no futuro.

Nota final (para que não tem um Kindle): por enquanto, para quem lê apenas em português e pretende adquirir um leitor de livros eletrônicos e, sobretudo, usar o leitor para ler livros jurídicos, a grande dica é “não compre o Kindle agora”.

7 COMMENTS

  1. Concordo PLENAMENTE!!!

    O mercado de livros jurídicos é forte e não sei porque, se pela resistência de editoras ou desinteresse da amazon, não há livros jurídicos no site da amazon. Sinceramente, me arrependi de ter comprado o meu kindle, pois meu foco era justamente esse, usar o kindle para ler, podendo grifar e fazer comentários nos meus livros técnicos de direito.
    Atualmente só utilizo o kindle para ler leis que eu mesmo ponho lá. Totalmente subutilizado!
    Uma pena!

  2. Gustavo, bom dia. Sou estudante de Direito (7º semstre) e gostaria de saber se vale a pena adquirir um aparelho desses (Kindle ou Kobo) para utilizar os livros do curso nesses aparelhos. Estou muito interessado porém, tenho dúvidas se acabo optando pelo Tablet já que os valores infelizmente são relativamente próximos.
    Valeu.

    • João,
      Se você está fazendo uma escolha para uma primeira compra e tiver condições de comprar apenas um aparelho por enquanto, talvez seja melhor optar por um tablet de boa qualidade (iPad, Samsung etc.). Assim, você terá acesso a uma diversidade de aplicativos para diversificar o uso do aparelho, enquanto um e-reader como o Kindle e o Kobo são mais voltados para leitura mesmo. Se possível, procure testar esses aparelhos antes de comprar, para que você sinta qual atenderá às suas necessidades.

  3. Eu comprei um Kobo Glo justamente pela vasta disponibilidade de títulos jurídicos na Livraria Cultura. A Amazon Brasil não tem quase nada, além dos títulos disponíveis estarem desatualizados.

    • André, os livros jurídicos pegam no Kobo? E os que têm gráfico, estes pegam direitinho? Muito obrigado!

  4. Estou muito triste, pois comprei um Kindle e agora não tenho opções de livros jurídicos atualizados. Gostaria muito de ter visitado a sua página antes de ter comprado um Kindle. Com certeza eu não teria investido meu dinheiro nisso.
    Estou pesquisando algumas alternativas para compatibilizar livros digitais de outras fontes para o meu Kindle. Caso alguém conheça algum método, por favor me informe.
    E-mail: diogoncj86@hotmail.com

    Obrigado!

Comments are closed.