#ribeirãopreto (Fatos Ribeirão-Pretanos #12)

0
💡

Doces caseiros, bolos enfeitados, roupinhas de natal para cachorros. Roupas baratas, alta costura ou serviços diversos. Tudo isso, você encontra na hashtag mais perto de você!

Para quem não sabe o que significa hashtag, tudo isso parece mais uma propaganda de loja de departamentos. Mas, não é isso. Estou falando de outra coisa.

Hashtag nada mais é do que uma palavra-chave antecedida do símbolo # (que a gente costuma chamar de “jogo da velha”, aqui no interior). Acontece que, na internet, as hashtags obtêm um poder “mágico”: ao mesmo tempo em que se transformam em links, acabam por agrupar automaticamente as mensagens e fotos classificadas pelos próprios usuários com palavras-chave ou “etiquetas” diversas.

Para grande parte dos leitores deste texto, pode parecer que estou falando coisas óbvias. Mas, percebi que o recurso ainda é muito pouco explorado pelas pessoas que trabalham em suas casas ou são donas de pequenos negócios, em Ribeirão Preto. Então, é preciso que voltemos ao bê-á-bá para dar um “clique” na mente das pessoas que poderiam crescer muito com a informação.

O melhor exemplo da potencialidade das hashtags pode ser contextualizado no Instagram. O que é o Instagram: é um aplicativo para smartphone que permite às pessoas incluir fotos e vídeos breves, classificá-los com hashtags, seguir outros usuários e ser seguidos por eles. É uma rede social fotográfica em forma de aplicativo.

Existem dezenas de outros aplicativos similares, bem como redes sociais mais elaboradas. Qual é o charme o Instagram, então? Primeiro, “todo mundo tem”. Segundo, é uma rede centrada em imagens, muito mais do que em conteúdos escritos. Terceiro: os links eventualmente incluídos pelos usuários nas descrições de suas fotos não são “clicáveis”.

Quanto a essa terceira característica, seria mesmo bom não poder clicar num link? Na verdade, é excelente, e vou explicar o motivo. Os únicos links externos “clicáveis” no Instagram são aqueles que o usuário inclui na descrição principal do seu perfil. Isso faz com que as atenções dos usuários estejam sempre centradas nos próprios usuários, e não em conteúdos externos como notícias, vídeos do YouTube ou comentários que invadem as “timelines”.

O aspecto local ganha muito valor, especialmente porque o Instagram permite que os usuários incluam hashtags nas suas fotos e vídeos. Essas hashtags é que são clicáveis e têm dupla função: categorizam o conteúdo automaticamente conforme as palavras-chave utilizadas e facilitam que o usuário acompanhe seus temas preferidos por meio de hashtags, pois é como se cada umas dessas hashtags ganhasse sua própria página dentro do aplicativo, atualizando-se a cada novo vídeo publicado naquele tema.

Pensemos na hashtag #ribeirãopreto. No momento em que escrevo este texto, esta hashtag conta com mais de 91 mil publicações no Instagram. Você pode até achar muito, mas comparativamente é uma hashtag pouco utilizada.

No entanto, cada vez mais pessoas estão descobrindo a força de uma hashtag local como #ribeirãopreto, no Instagram. Enquanto trabalham, vão fotografando a sua produção, os produtos de suas lojinhas e outros tipos de imagem, atraindo a atenção do público crescente que usa o Instagram. Vemos ali muitas coisas que não encontramos em shoppings ou em grandes lojas de rua, e o cartão de visitas é o próprio perfil de usuário, que pode conter número de telefone, endereço, website etc.

A economia está em crise. Mas, nunca foi tão fácil divulgar as coisas que todo mundo pode fazer em casa e oferecer ao público local. Sorte de quem perceber isso!