Trote estudantil

6
💡

Acabo de ler no site da Folha de São Paulo a breve notícia “Universidade expulsa alunos por envolvimento em trote violento“, fazendo referência a um fato ocorrido abril de 2005 em que um calouro da Universidade Federal de Uberlândia-UFU foi obrigado a deitar, sem camisa, sobre um formigueiro. O que chamou a atenção foi que a notícia informa que, antes da decisão da UFU, foram ouvidas cerca de cem pessoas.

O trote estudantil é uma prática que costuma ser associada a uma idéia de violência, que pode ser física ou moral. Mas existe o chamado “trote solidário”, que representa uma manifestção contra a violência do trote.

Existem em São Paulo leis estuais que são contra o trote violento: a Lei Estadual [SP] 10.454/99 (que, além de dar outras providências) dispõe sobre a proibição do trote que possa colocar em risco a saúde e a integridade física dos calouros das escolas superiores) e a Lei Estadual [SP] 11.365/2000 (que, além de dar outras providências, institui a Campanha do Trote Solidário). Ambas as leis podem ser lidas no site a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

SHARE
Previous articleLei 11.340/06 – A Lei Maria da Penha
Next articleDe deixar qualquer um doente
Gustavo D'Andrea é advogado especializado em Direito Digital, mestre em Ciências (Psicologia) pela FFCLRP-USP e doutor em Ciências (Enfermagem Psiquiátrica) pela EERP-USP. Mantém o blog Forense Contemporâneo desde 2005 e criou a Forensepédia.

6 Comentários

  1. É incrivel como as informações são destorcidas.
    Antes de publicar em jornais e sites, os jornalistas deveriam pesquisar a fundo o ocorrido.
    A VIOLENCIA não foi praticada como descrevem.E acredito que a propria vitima pode esclarecer isto.Se realmente o aluno tivesse sido violentado ele entraria por conta propria com um processo contra os meninos considerados culpados.O que não foi feito.
    E exitem pessoas sendo prejudicadas injustamente por isto.
    Fazer justiça é correto,mas que esta seja feita com quem realmente merece.
    A UFU não foi certa em suas atitudes,e muitos dos fatos descritos não tem nenhum fundamento e principalmente nenhum tipo de prova.
    Defender o nome da instituição publicando as medidas adotadas contra os alunos que foram “apontados como culpados” é muito fácil.Pesquisar a fundo o ocorrido e punir devidamente de acordo com as normas da instituição e às pessoas certas responsaveis,parece que não é bem a preocupação da Universidade.

  2. seria possivel enviar alguma definiçao sobre o trote estudantil para o meu e-mail?
    estou fazendo um trabalho escolar e gostaria de algumas informaçoes

    obrigado

  3. A definição enviada para o vitor, poderia ser encaminhada para o meu e-mail? rs, sou estudante de arquitetura e estou fazendo uma pesquisa sobre o ritual do trote estudantil.
    Desde já, muito obrigada

  4. Olá, Vitor. Olá, Kênia. Obrigado pelas visitas. Para mim, não ficou muito claro o que vocês querem saber sobre o trote estudantil. Sintam-se à vontade para incluir mais detalhes sobre o interesse de vocês sobre este assunto, pois assim o debate poderá ser enriquecido.

  5. gostaria de saber que tipo de “defesa” os alunos novos (calouros) podem utilizar para evitar a imposição desse tipo de “tradição”. Ouvi dizer que muitos juízes não costumam condenar os autores do trote, a menos que sejam casos extremos.

    Obrigado de antemão

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here