Uma lição de amor

8
💡

triangulos

Anteontem assisti ao filme “Uma lição de amor” (“I am Sam”, 2001, direção de Jessie Nelson) estrelado por Sean Penn, Michelle Pfiffer e Dakota Fanning. Senti que poderia falar um pouco sobre este filme, fazendo algum paralelo com o Direito. A idéia de ligar o cinema a outros campos científicos foi-me inspirada pelas crônicas presentes no livro “Crônicas de Cinema” (cujas ilustrações tive a oportunidade de criar), publicado pela EdUFScar, de autoria do psiquiatra Flavio Fortes D’Andrea e onde é feita a análise, através da psicanálise, de diversos filmes.

“Uma lição de amor” conta a sobre Sam Dawson (Sean Penn), um homem com problemas de desenvolvimento mental, que se vê obrigado a criar sozinho a filha, após ambos serem abandonados pela mãe da menina logo após o seu nascimento. Sam enfrenta então o desafio de criar Lucy (Dakota Fanning) apoiado por seus amigos, que também têm problemas mentais e por uma vizinha que nunca sai de seu apartamento por ter agorafobia. Sam conseguia ganhar seu sustento trabalhando em uma das cafeterias Starbucks .

Quando uma assistente social investiga a vida de Lucy, já com sete anos de idade, o fato de que logo sua capacidade mental ultrapassaria a do pai traz à tona a questão de que ele não seria capaz de criá-la e deveria perder a guarda da filha. Os amigos incentivam Sam a procurar um advogado e ele acaba procurando Rita Harrison (Michelle Pfiffer). Ela não queria atendê-lo, mostrando-se muito ocupada, mas quando se viu envergonhada na frente dos colegas de trabalho, resolveu que faria a defesa de Sam. Mais do que isso, faria uma defesa pro bono, apenas para provar a seus colegas que poderia fazê-lo. Durante o processo judicial, Lucy foi colocada sob os cuidados de uma mãe substituta, Randy (Laura Dern)

Há muitas questões abordadas neste filme, sendo mostrada a luta judicial onde, de um lado, pretende-se tirar de Sam a guarda de Lucy e, de outro lado, há uma advogada defendendo Sam e que acaba revendo questões de sua própria vida.

Ao assistir ao filme, notamos muito bem os pontos de vista sobre a situação: Lucy ama seu pai e quer ficar com ele, mas ela também precisa de alguém que cuide de seu desenvolvimento. Mas podemos perceber que, até certo momento, cada personagem estava fazendo a sua parte, sem considerar o todo. Quando Sam resolve se mudar para perto da casa da mãe substituta de Lucy, a menina passa a fugir todas as noites pela janela de seu quarto para encontrar com o pai. Ele, então, diligentemente leva a menina de volta à casa de Randy e ainda dá recomendações de como fazer a menina dormir.

Logo Randy percebe que não pode dar à menina um amor como o de Sam, e passa a aceitar isso. De outra parte, parece ficar claro que a menina progrediria muito bem com a mãe substituta, desde que houvesse a presença do pai. O filme termina com todos unidos num campo onde Lucy está jogando futebol, incentivada por Randy e com Sam como árbitro, além de Rita também assistindo ao jogo.

O processo judicial nos Estados Unidos é diferente do nosso, em vários pontos. Mas as questões discutidas no filme transcendem as fronteiras dos ordenamentos jurídicos, para falarem ao ser humano habitante em qualquer lugar do mundo. É comum notarmos situações em que pessoas de cada lado defendem seu ponto de vista sem ao menos procurar conhecer a globalidade das questões envolvidas. Muitas vezes, escolher por uma ou outra solução pode ser uma decisão incompleta, se comparada com uma solução que integrasse diversas soluções apresentadas pelos diferentes pontos de vista.

O processo judicial, no Brasil, é muito relacionado à palavra lide ou à palavra litígio. Mas a rotineira oportunidade de conciliação, mesmo em processos já formados em tramitação, vem encorajar que se procure uma identificação do processo com a palavra diálogo. O diálogo enriquece o Direito, sugerindo também a importância da interdisciplinaridade com outras áreas científicas, que poderá evitar decisões alheias à realidade.

Recomendo, pois,o filme “Uma lição de amor”.

8 Comentários

  1. MUITA EMOÇÃO, AMOR , DEDICAÇÃO DE UM PAI ….. COM IDADE MENTAL EQUIVALNETE A UMA CRIANÇA DE 7 ANOS.. QUE MAS PERFEIÇÃO DO QUE ISSO!!!!!!!!!!!!!!!!! PENSAR COM CORAÇÃO ATITUDE QUE PESSOAS MUITAS COM IDADE MENTAL AVANÇADA AINDA NÃO ADQUIRIU.

  2. Realmente lindo…uma lição de amor…ao outro…aquele q esta ao nosso lado [sem julgar] etnia, religião, classe social, etc..
    vale a pena assistir…

  3. Gostaria de ajuda para fazer uma análise crítica do Filme Uma Lição de Amor, considerando as teorias de Winnicott e Bowlby. Alguém poderia me ajudar? É urgente!

  4. um filme que nos faz refletir sobre a importancia de valores humanos muito simples. valores esses que estao distantes da realidade de nossa sociedade. o filme nos mostra a importancia de se resgatar determinados valores como o amor sincero e a dedicaçao sem limites

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here