[Vôo JJ 3054 – Uma cena] Aplicação, Prudência, Perícia – A coragem dos bombeiros

30
💡

Combate ao fogo

Criei esta fotografia, que chamo de “Combate ao fogo”, especialmente para este post. O cinza é o céu; o roxo a fumaça; o preto os prédios; o vermelho o fogo; o branco os bombeiros; o azul a água. Tinta acrílica sobre papel, fotografados sob o sol (por isso as sombras).

Este post é uma reflexão e uma homenagem às vítimas e familiares das vítimas do acidente da TAM, ocorrido no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, no dia 17 de julho de 2007. Relembremos também o acidente com o Vôo 1907 da GOL, ocorrido em 29 de setembro de 2006.

Enquanto o caos aéreo esperava para chegar ao seu ápice, que teria lugar no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, havia um grupo de pessoas preparadas para agir imediatamente e correr fogo adentro, na esperança de salvar uma vida que fosse: os bombeiros paulistas corajosamente enfrentando o fogo.

Quando acompanhei pela televisão as primeiras cenas do acidente da TAM, em 17 de julho, o que mais me marcou foi ver aqueles bombeiros combatendo o fogo, sem uma ponta sequer de hesitação. Eles se direcionavam no sentido do perigo, do risco de explosões, carregando pesadas mangueiras que jorravam para conter o incêndio. A água que saía das mangueiras parecia apenas um pequeno conjunto de gotas diante daquela conflagração.

Lembro que no primário – que hoje é o Ensino Fundamental – o curso dado pelo Corpo de Bombeiros era o momento mais empolgante. Aprendíamos técnicas de primeiros socorros, responsabilidades, cuidados, funcionamento de extintores de incêndio etc. O momento mais triste ocorria quando o curso terminava.

O tempo foi passando. E os bombeiros continuam ali, de prontidão, checando a todo tempo seus instrumentos de trabalho, zelando pela vida humana. Eles não têm tempo nem ocasião, nem prazo nem folga. A qualquer hora do dia ou da noite, há sempre um grupo de bombeiros prontos para encarar o perigo, fazendo tudo para que outras pessoas fiquem a salvo.

Na faculdade de Direito, quando estudávamos a culpa, sempre estavam presentes as três palavras: negligência, imprudência e imperícia. Mas, muito antes, naquelas aulas do primário, o bombeiro já nos ensinava sobre tais palavras. O valor delas é tão grande que os seus antônimos deveriam ser gravados em placas de ouro: Aplicação; Prudência; Perícia.

A Aplicação
Depois do acidente em Congonhas, as discussões a respeito do caos aéreo tomaram uma dimensão mais exacerbada. Enquanto isso, os clientes das companhias aéreas estão tentando dormir no chão gelado dos aeroportos, esperando solucionarem o atraso ou o cancelamento de seus vôos. E isto não é apenas uma questão de horários. Os passageiros são pessoas e, como tais, estão sujeitas a estresse, fadiga, dores musculares entre outras enfermidades causadas pelo que alguns querem considerar “uma simples espera”.

Os bombeiros enfrentaram o fogo e procuraram por alguém vivo, ainda que houvesse uma probabilidade quase nula de alguém ter sobrevivido ao acidente.

A Prudência
Pistas de aeroportos demandam reformas. Aeronaves precisam de consertos. Controladores de vôo precisam de qualidade de vida no trabalho. Pilotos precisam de equilíbrio. Não pergunto mais por que estas coisas demoram tanto a ser plenamente realizadas. Não se trata de verbas nem de decisões políticas. Nem se trata de interesses escusos nem de corrupção. Esses problemas apenas se revezam como focos de discussões. Na verdade, parecem desculpas para justificar a imprudência. Mas a imprudência é justificável?

Os bombeiros enfrentam o caos cara a cara, conhecem os riscos e tentam minimizá-los. Em incêndios, enchentes, desabamentos etc., eles é que estarão ali, lutando. Eles entendem o valor da prudência.

A Perícia
A ciência avança a cada dia. É através da ciência que se constroem aviões. E a ignorância científica os derruba. Ignorância científica pode ocorrer quando as pesquisas ainda não chegaram a soluções adequadas – neste caso, a única forma de encontrar tais soluções é pesquisar mais. Um problema maior toma corpo quando a ignorância científica depende somente da vontade – neste caso, não há propriamente uma ignorância científica, mas sim um desprezo pelo que já foi descoberto em ciência.

Alguém pode pretender dizer que “um erro do piloto é um erro do piloto”. Mas, por que o piloto teria errado? Considerando que um piloto tenha todas as habilidades para pilotar, que motivos o levariam a errar? Ele seria o único responsável por um eventual erro? Ou a sua carga horária é excessiva? Ou a companhia aérea o ameaça de dispensa? Ou a saúde física e mental do piloto é ignorada?

Evidentemente, o piloto deve ter perícia em pilotar. Mas não é apenas este o conhecimento exigido para um vôo realmente seguro.

Os bombeiros valorizam o conhecimento, a perícia. Com o conhecimento, tem-se mais segurança e torna-se mais eficaz a luta por um país melhor.

* * *

A atuação dos bombeiros é um recado àqueles que se dizem envergonhados de serem brasileiros; é uma mensagem àquele que dizem que “não se faz nada” para melhorar o país. Muito tem sido feito para que o Brasil seja um país melhor. Os bombeiros são exemplo disso.

Há esperança para o Brasil. Há esperança para os brasileiros. A História fica marcada com perdas, injustiça, desrespeito. Mas não são poucos os que lutam para vencer estes e outros males. Persistir é necessário. Nós podemos tornar o Brasil um país melhor.

– – – – – – – – – –

Para saber mais sobre a idéia “Vôo JJ 3054 – Uma cena”, ver post “Projeto ‘Vôo JJ 3054 – Uma cena’ – reflexão e homenagem às famílias das vítimas do acidente da TAM“, aqui no blog.

Certamente a idéia “Vôo JJ 3054 – Uma cena” acabou se difundindo bastante entre os blogueiros. Dos que também escreverão com base na mencionada idéia, listarei abaixo aqueles com quem me comuniquei por e-mail ou que incluíram comentários (ou se houver “pingback”) no post mencionado, até o momento de publicação da presente reflexão e homenagem. Agradeço a todos que apreciaram e a todos que divulgaram a idéia “Vôo JJ 3054 – Uma cena”, independentemente de estarem ou não estarem na lista abaixo.

– Alice – blog Alice no País da CPI
– André Wernner – blog André Wernner
– Andréa Sá – blog Diversos Direitos
– Danyllo – blog Argumentandum
– Fábio Max Marschner Mayer – Blog do Fábio Mayer
– Izildo Souza – blog Pare e Leia
– Jacque – blog Tricotando
– Lou Mello – blog A Gruta
– Luciana – blog Dia de Folga
– Poliane – blog Rumorejo
– Ricardo Rayol – blog Jus Indignatus
– Ronald – Blog do Ronald
– Veridiana Serpa – blog 30 & Alguns

30 Comentários

  1. Adorei seu post e a fotografia. Não esquecerei esses dois acidentes; aliás, todas as vezes em que eu votar me lembrarei deles, das famílias e das barbáries que foram ditas e feitas.
    Os bombeiros foram muito bem lembrados e homenageados aqui. Eles sim nos fazem sentir orgulho.
    Um abraço e já fiz o meu também!

  2. Nossa Gustavo… Eu entre tantas tarefas consegui colocar meu texto simples mas que pretendo sim me juntar a você e aos demais amigos que não suportam mais ver esse tipo de acidente acontecer por estupidez. Não fiz nenhuma homenagem simbólica… Que aliais Gustavo, vc conseguiu me emocionar com o seu texto, viu? Parabéns! Eu não conhecia seu blog e vim atraves do Rayol e gostei muito! Li seu ultimo post falando sobre o movimento “Cansei”… e o bom de nós blogueiros é que blogar e comentar vem no mesmo pacote! Não se desliga se não te desligam!
    Belíssima atitude e iniciativa!
    Obrigada e Parabéns!

  3. Que belo comentário heim? Demonstra o cáos em que vivemos, o heroísmo de alguns e o sofrimento de muitos com clareza. É algo que eu gostaria de ter escrito.

    Olha, eu classifico esse estado de coisas que vivemos como IRRESPONSABILIDADE, e quando faço isso, não me refiro apenas ao atual governo, mas aos anteriores também, juntamente com a leniência popular em não cobrar atitudes dos seus governantes ao mesmo tempo em que aceita pagar os impostos extorsivos que paga… Se houvesse mais responsabilidade no ideário nacional, as coisas não seriam tão absurdamente largadas por aqui…

  4. Gustavo
    Belíssimo testo!
    Tens toda a razão, existem muitos brasileiros exemplares, como no caso dos bombeiros, que nos emocionaram pela forma humana como atuaram.
    Também tens razão quando dizes que existem esperanças para o nosso país. Podemos vencer e transformar o Brasil num país onde se sinta orgulho de sermos brasileiros .
    Infelizmente, os que pensam o contrário, mesmo sendo minoria, têm o poder de nos fazer sentir vergonha.
    As vaias que estão acontecendo é a reação dos brasileiros que já chegaram no seu limite de tolerância e mostram que em conjunto se pode fazer muito barulho, pelo menos mostra que não se deixa passar em branco.
    Não somos coniventes e nem indiferentes.
    Estamos em maioria e somos pessoas normais com sentimentos.
    ***
    Gostaria também de informar que estou participando da blogagem.
    Um abraço.

  5. Nossa Gustavo você se lembrou muito bem dos bombeiros…com tanta tragédia a gente acaba nem se dando conta deles, não é! Adorei seu post!
    Ah, também estou participando da blogagem, a convite do Rayol.
    Muito prazer em conehcer seu espaço,
    Renata

  6. Pena que as nossas sinceras homenagens não tenham o condão de solucionar o que já aconteceu. Mas que sirva como um grito de alerta: nós sabemos o que aconteceu, nós vimos quem estava e quem não estava lá. Parabéns pelo texto.

  7. Oi Gustavo. Muito boa a lembrança da atuação dos bombeiros. Duas cenas desse acidente para mim foram marcantes: os bombeiros entrando dentro do prédio em chamas, por onde pudessem e um monte de canalhas da Infraero,às gargalhadas, assistindo da beira da pista de Congonhas ao trabalho insano dos bombeiros.
    Todos são funcionários públicos. Mas uns são mais públicos do que os outros…
    E é por essa mentalidade de “não é comigo”, que estamos indo para o fundo do buraco…
    Parabéns pela iniciativa. Coloquei meu protesto lá no blog e colocarei de novo quantas vezes for necessário. Um dia esse nosso país vai acordar e os medíocres, corruptos, sem vergonhas e crápulas vão ter que procurar outra praia.
    Um grande abraço.

  8. Olá Gustavo,
    Missão cumprida. Parabéns pela sua abordagem e pelo chamamento para a importância de não se permitir que tal assunto simplesmente se perca com o passar dos dias. É preciso uma tomada de consciência de nossas autoridades, dos empresários do setor aéreo e das agências reguladoras, além, obviamente, da Aeronáutica, que medidas emergenciais precisam ser tomadas. Esta situação não pode persistir.
    Na verdade, já se alongou demais.
    Abs

  9. Mesmo com minha total falta de conhecimento, escrevi sobre uma coisa que em incomoda muito nisso tudo..

    A tragédia anunciada e a busca por culpados…

    É um prazer participar dessa blogagem coleitva. Parabéns pela iniciativa..

    Um abraço

  10. Meus caros!

    É com enorme satisfação que leio estes comentários elogiosos. Agora, procurarei responder a cada um deles, e iniciar a longa mas maravilhosa tarefa de ler posts escritos pelos blogueiros com base na idéia “Vôo JJ 3054 – Uma cena”. Procurarei realizar esta tarefa com um olhar reflexivo.

    A seguir, respostas aos comentários acima:

    Olá, Jacque. Obrigado pelo elogio à fotografia. É louvável o seu pensamento de votar pensando não no seu próprio benefício, mas no da coletividade.

    Olá, Poliane. Obrigado pela congratulação. Fico feliz de ter conseguido expressar no post um pouco da emoção que eu mesmo senti frente à cena dos bombeiros enfrentando o fogo, no local do acidente da TAM. Quanto ao ato de blogar, o que vejo de mais precioso é a pluraridade e o diálogo que se pode estabelecer entre blogueiros.

    Olá, Fábio. Obrigado pelo elogio. Com efeito, a responsabilidade é algo de extrema importância, contribuindo para tornar o Brasil um lugar melhor.

    Olá, Ricardo. Obrigado pelo elogio. Além da lista que fiz neste post, depois surgiram outros blogueiros comentando este post. E os posts de tais blogueiros, com base na idéia “Vôo JJ 3054 – Uma cena”, também podem ter sido comentados ainda por outros blogueiros, e assim por diante.

    Olá, Silvana. Obrigado pelo elogio. Sim, há esperança para que o Brasil se torne um país melhor. O nós, os brasileiros, podemos tornar melhor o nosso País.

    Olá, Renata. Que bom que gostou do post.

    Olá, Dan. Obrigado pelos calorosos elogios.

    Olá, Shirlei. Obrigado pela congratulação. Esperemos que trajédias como a do acidente da TAM não voltem a ocorrer no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo.

    Olá, Oriane. Obrigado pela visita.

    Olá, Suzy. Obrigado pela congratulação. Que bom que gostou da homenagem. Lutemos para conseguir “tocar” esta luz.

    Olá, Cejunior. Obrigado pela congratulação.

    Olá, André. Obrigado pela congratulação. Espero que os brasileiros possam contar com verdadeiros representantes do povo, povo este composto por desde o mais desabastado dos brasileiros até os multimilionários empresários de nosso País.

    Olá, Chawca. Obrigado pela congratulação.

  11. Gustavo, obrigada pela oportunidade de conhecê-lo, a partir dessa blogagem coletiva.

    Seu texto remete ao da Shirley que falou de forma emocionante sobre todos que trabalharam naquela terrível noite, em especial os bombeiros.
    Lembrei-me também, lendo-o de um bombeiro que, ao chegar em casa e tomar conhecimento da tragédia, imediatamente voltou ao seu local de trabalho, num percurso de mais de uma hora, para integrar as equipes de combate ao incêndio.

    Sua abordagem humanista é algo inédito , pelo menos par amim, que ando lendo quase tudo sobre o acidente. Ninguém fala no indivíduo. Creio que o coletivo foi e continua sendo tão mórbido que não resta coragem para olhar cada um dos envolvidos e seu sofrimento imensurável.

    Eu sei que, na dor, sempre estamos sozinhos.
    Você deu as cores da compaixão.
    Minhas reverências.

    beijos

  12. Olá, Saramar. Eu só tenho a agradecer. Seu comentário me deixa quase sem palavras. Fico muito feliz em saber que você apreciou o post.

    Embora seu comentário tenha poucas palavras, vejo profundidade nelas.

    No final do seu comentário, você disse que, “na dor, estamos sozinhos”. Mas, acredite: não estamos sozinhos. Nunca estivemos. Nem na dor, nem no prazer. Nem na tristeza, nem na felicidade. Nem na escassez, nem na prosperidade.

  13. Olá amigo, vim aqui para deixa o link onde estão todas as obras do Cientista Herbert Alexandre Galdino Pereira da área de Eletromagnetismo Aplicado e Aviónica. Ele é autor da Teoria do Triângulo das Bermudas, Teoria dos Celulares e Eletricidade Estática, e Orientação aos Aviadores Brasileiros ao voarem a Serra do Cachimbo, em Mato Grosso, pois existe campo Magnético na área do Brasil (relaciona-se ao vôo 1907). Entre outras obras.
    Deixo o Link aqui em baixo para Leitura e Downloads das Obras deles.

    http://www.scribd.com/people/documents/13555060-fuma-a

    Um abraço.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here